terça-feira, 8 de agosto de 2017

Taxa de empreendedorismo inicial no Brasil chega a 19,6%

Realizada pelo Sebrae e IBPQ, a pesquisa GEM 2016 revela que o índice de novos empreendedores caiu de 21% para 19,6% no ano passado. As mulheres são maioria à frente desses empreendimentos
De cada grupo de dez brasileiros, aproximadamente dois deles estão de alguma forma envolvidos em um negócio em estágio inicial. A constatação vem da Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM 2016), que é realizada anualmente pelo Sebrae e Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBPQ). O estudo mostra que a Taxa de Empreendedorismo Inicial (TEA), composta por empreendedores nascentes e novos, alcançou no ano passado o valor de 19,6%, inferior a 2015, quando o índice foi de 21%.
Nesse grupo, 6,2%  dos empreendedores nascentes que estavam envolvidos na estruturação de um negócio do qual eram proprietários, porém, o negócios não permitiu a retirada de pró-labores, ou qualquer outra forma de remuneração por mais de três meses. Já a Taxa Total de Empreendedores (TTE) apresentou valor de 36 % em 2016, percentual que também é inferior ao verificado no ano anterior, 39,3%. A pesquisa não apresenta dados específicos sobre o Rio Grande do Norte, já que não tem recorte por estado.
De acordo com o estudo, a taxa de empreendedorismo feminino entre os novos empreendedores – aqueles que possuem um negócio com até 3,5 anos – é de 15,4%, já a masculina é de 12,6%.  Além de terem uma taxa mais alta de empreendedorismo, as mulheres abrem uma empresa mais por necessidade do que os homens. Entre os novos empresários, 48% delas o fazem porque precisam, já entre os homens esse número cai para 37%. “
A pesquisa do Sebrae ainda traça um perfil dessas mulheres. De acordo com o estudo, 40% delas têm até 34 anos, já entre os homens, esse número cai para 36%. E apesar delas serem mais escolarizadas, ainda ganham menos: 73% recebem até três salários mínimo, contra 59% do universo masculino.
O levantamento também revela que quase metade das empreendedoras iniciais atua em apenas quatro atividades, enquanto que a mesma proporção de homens está concentrada em nove. As mulheres abrem empresas que atuam com serviços domésticos, cabeleireiros e tratamento de beleza, comércio varejista de roupas e acessórios e serviços de bufê e de comida preparada.
A  pesquisa GEM é parte do projeto Global Entrepreneurship Monitor, iniciado em 1999 com uma parceria entre a London Business School e o Babson College, abrangendo dez países no primeiro ano. Em 2016, participaram 65 países, cobrindo 70% da população global e 83% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. No Brasil, a pesquisa é feita desde 2000 e, no ano passado, foram entrevistados 2 mil adultos entre 18 e 64 anos de todas as regiões do país, e 93 especialistas em empreendedorismo.
Fonte: Agência SEBRAE

Nenhum comentário:

Postar um comentário