quinta-feira, 16 de junho de 2016

Planejamento Financeiro: por onde começar e como fazer

Do Dinheirama.com:

O planejamento é apontado por profissionais como a ferramenta de maior importância para alcançar objetivos e se faz necessário em todas as áreas.
Sem planejamento, muitos empresários começam um negócio sem conhecer seu público-alvo, os fornecedores, a concorrência, os custos fixos e variáveis e acabam fechando as portas antes que o negócio complete de dois anos. Com planejamento e austeridade, países como Portugal, ltália, Grécia e Espanha conseguiram sair da recessão.
Nas finanças pessoais não é diferente. Por isso, neste texto vou comentar mais sobre planejamento financeiro e os primeiros passos necessários para quem deseja começar a se planejar.

Como a disciplina impacta o planejamento financeiro

Um estudo da Northwestern Mutual (2014), pesquisa que explora dados sobre planejamento financeiro nos Estados Unidos, mostrou que quanto mais disciplina o indivíduo emprega no planejamento financeiro, mais seguro se sente no presente e isso contribui para que alcance suas metas.
Ainda na pesquisa, do total de indivíduos considerados muitos disciplinados, 70% se sentem muito seguros financeiramente, contra 51% do grupo dos disciplinados, 34% dos planejadores informais (os que têm uma ideia do que querem, mas não possuem um plano) e 17% dos que não planejam. Este resultado reforça a importância do planejamento financeiro e da disciplina para alcançar os objetivos e sonhos de médio e longo prazo.

Mas o que de fato é planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é um processo contínuo para determinar estratégias e desenvolver meios de se alcançar um ou mais objetivos, como viajar nas férias, trocar de carro ou comprar um imóvel. Este planejamento abrange a identificação e equilíbrio das receitas e despesas, o ajuste de contas, a escolha de investimentos e a renegociação de dívidas, quando necessário.
As pessoas que estão com as contas estão desequilibradas e dão início ao processo de planejamento demoram de seis meses a dois anos para trazê-las de volta para o controle. Porém, uma vez que este primeiro objetivo é atingido, se torna mais fácil manter a disciplina e ter uma vida financeira equilibrada.

A falta de planejamento pode afetar a sua saúde

Um bom planejamento pode fazer mais pelo seu futuro do que muitos anos de trabalho. Planejar-se financeiramente não é apenas uma questão de sucesso material, mas também profissional e pessoal. Pessoas com problemas financeiros são menos produtivas e têm mais problemas de saúde.
Uma pesquisa da PWC (2013) sobre a relação dos indivíduos com dinheiro mostra que 23% dos funcionários dedicam algum tempo durante o expediente pensando sobre seus problemas financeiros, o que diminui sua produtividade.
Outra pesquisa americana, da PFEEF (2012), traz as implicações do estresse financeiro para a saúde: 29% das pessoas que têm problemas financeiros sofrem de ansiedade aguda e 23% tiveram depressão profunda, ambos contra 4% das pessoas que têm o orçamento organizado.
Outro dado relevante é que 44% de pessoas com problemas com o dinheiro sofrem de enxaqueca ou outras dores de cabeça contra 15% dos indivíduos que possuem as contas em dia; e 27% tiveram úlceras ou outro problema no aparelho digestivo, contra 8% dos planejados financeiramente.
Estresse causa problemas financeiros

O planejamento financeiro é para todos

Ao contrário do que muitos imaginam, o planejamento financeiro independe da renda do indivíduo. No Brasil, não temos a cultura de desenvolver este plano, assim, ficamos mais vulneráveis às incertezas e riscos e deixamos passar as oportunidades.
Todos precisam se planejar, pois, além de termos sonhos e objetivos, imprevistos fazem parte da vida e somos capazes de encará-los com muito mais tranquilidade quando preparados financeiramente para tal.

Como começar a se planejar

O primeiro passo de quem deseja fazer um planejamento financeiro deve ser reunir o maior número de informações possíveis sobre sua vida financeira. Extratos de conta corrente e de investimentos, comprovantes de compras, comprovantes de renda, entre outros ajudam o indivíduo na análise da sua situação financeira.
É importante levantar o patrimônio que possui e o que se deve para conhecer a real situação patrimonial com o objetivo de elaborar o planejamento financeiro de maneira adequada.
Quem possui dívidas deve atentar para as taxas de juros que está pagando e para as que estão sendo praticadas no mercado. A melhor saída pode ser renegocias as dívidas.
Os que possuem investimento precisam observar a rentabilidade dos ativos que possui e se o risco ao qual se expõem está de acordo com o seu perfil de investidor. A reavaliação da carteira de investimento também faz parte do processo de planejamento financeiro.

Definindo objetivos e sonhos

Após reunir as informações necessárias e dimensionar sua situação financeira e patrimonial, o indivíduo precisa identificar quais são seus sonhos e objetivos para a vida.
Faça uma lista com o que deseja conquistar no médio e longo prazo, seja específico e atribua um valor para cada um destes. Por exemplo, se deseja adquirir uma casa de praia num bom condomínio com três quartos, piscina e churrasqueira, anote também qual o valor de um imóvel com estas características e o prazo em que deseja atingir este objetivo.
Avalie se os valores e horizonte de tempo atribuídos a cada objetivo são realistas. Se você seguir seu planejamento à risca, conseguirá atingir seu objetivo no prazo estipulado.

Investir é o melhor caminho

Após conhecer a sua situação financeira atual e listar seus objetivos e sonhos, é chegado o momento de estabelecer as metas e estratégias de investimento que irão possibilitar o alcance dos seus objetivos.
Nesta etapa do processo é importante observar se o risco dos investimentos é compatível com o retorno esperado e o horizonte de tempo que se pretende deixar os recursos aplicados.
O risco é um fator inerente aos investimentos. Para conhecer o nível que você pode se expor, é recomendável que responda a um questionário de avaliação de perfil de investidor.

É preciso monitorar seu controle financeiro e investimentos

Não menos importante que os demais passos é o monitoramento do plano. É importante saber que a disciplina é imprescindível para alcançar os seus objetivos, mesmo assim, de tempos em tempos, revisões no trajeto podem ser necessárias.
Minha sugestão é de que inicialmente você revisite seu controle de receitas e despesas com frequência. Com tempo perceberá que este controle se automatiza no nosso cérebro.
Quanto ao planejamento de investimentos, a recomendação é que seja revisado uma vez ao ano. Caso o cenário econômico exigir mudanças, não tenha medo de realizá-las e busque sempre ajuda profissional de um consultor de investimentos para auxiliar você nesta tarefa.

Imprevistos acontecem!

Mesmo com os melhores planos, sempre ocorrem eventos inesperados. Tentar antecipar algum desses problemas pode ser uma boa maneira de garantir seu sucesso.
Determinadas questões podem ser gerenciadas enquanto outras estarão fora de controle. O que eu quero dizer com isso é que a melhor maneira de gerenciar risco é seguir seu planejamento financeiro com determinação e disciplina de modo que possa ter reservas para eventuais emergências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário