quarta-feira, 27 de abril de 2016

Nenhuma unidade prisional potiguar possui scanner que dispensa revista íntima

Após recomendação da Defensoria Pública do Rio Grande do Norte de que a revista íntima seja suspensa nos presídios, cadeias e centros de detenção provisória potiguares, a Coordenadoria de Administração Penitenciária (Coape/RN) deverá orientar as direções das unidades prisionais na próxima semana sobre como proceder em relação ao procedimento. Até lá, informa a Coordenadoria, a revista deve continuar sendo realizada.
A Coape esclarece que a revista íntima poderia ser dispensada caso as unidades prisionais possuíssem aparelhos de scanner de corpo, em que é possível analisar o interior do corpo de uma pessoa de pé e vestida. Porém, o aparelho é muito caro e poucos presídios do país o possuem, sendo que nenhum no RN dispõe da máquina.
Na edição do Diário Oficial do Estado, a Defensoria recomendou que a revista íntima nos presídios do RN seja suspensa com base na Lei nº 13.271, de 15 de abril de 2016, sancionada pela presidente Dilma Rousseff. No entanto, a decisão aumenta o temor de que, sem a realização da revista, seja facilitada a entrada de drogas nas unidades prisionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário