quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Angicos: Com 6 meses de gestação, mulher reclama das dificuldade enfrentadas para conseguir exame.

Do Blog Angicos Notícias:


Como Blog mostrou em reportagens anteriores, a dificuldade para marcar consultas e exames na Rede Municipal de Saúde em Angicos são rotineiras. Não bastasse ter que madrugar na porta de um posto de saúde, a população ainda tem que contar com a sorte, devido à incerteza do atendimento médico.

Mais uma reclamação chega à redação deste Blog. O clamor parte de uma gestante. Ana Patrícia da Rocha, de 32 anos, moradora do Conjunto Pedro Moura. A jovem procurou-nos para denunciar a frustrante situação enfrentada por ela.

No sexto mês de gravidez, Ana disse que procurou a Secretaria de Saúde em busca de um ultrassom morfológico e frustrou-se ao ouvir da Titular da Pasta que não seria possível. “Ela disse pra mim que não seria possível fazer a consulta, pelo simples fato da Unidade de Saúde não realizar o exame.”, lembra.

O exame, que é empregado para detectar possíveis alterações congênitas, como a malformação do cérebro e hidrocefalia (acúmulo de líquido na cavidade craniana), além de problemas genéticos e cromossômicos, como a síndrome de Down.

Para não correrem riscos [Ela e o Bebe], ela conta que procurou o médico, do Posto de Saúde de seu bairro e, o médico teria solicitado em regime de urgência a realização de dois exames; ultrassom morfológico e de diabetes, para diagnosticar a diabetes gestacional. Além disso, a gestante contou que sofre com problemas de pressão alta.

“Meu marido e eu ficamos apreensivos e preocupados, pois estamos desempregados e não temos como arcar com a realização deste exame, pois, custa caro, entre R$ 180 e R$ 200,00. O que mais me revolta é que, foi a primeira vez que precisei da secretaria de saúde e de cara já recebi um não”, pondera a gestante.

Elykebyson Ferreira de Andrade, de 24 anos, pai da Criança classifica tal situação como angustiante e revoltante, “fiquei triste, pois estamos procurando algo que é dever do município e direito nosso. E outra: Só procuramos a Secretaria porque não temos condições de pagar o exame, pois se tivéssemos condições não teríamos procurado”, explica.

O Jovem disse que chegou a procurar o prefeito do município, Expedito Edilson Chimbinha Júnior na tentativa de conseguir o exame para sua esposa, e, se deparou novamente com outro obstáculo, “Infelizmente, não consegui. Ele teve o cabimento de dizer que não tinha condições. Condições não temos nós”, retruca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário