quarta-feira, 30 de julho de 2014

Ufersa Angicos têm investimentos de R$ 10 milhões

O Campus da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, no município de Angicos, Região do Sertão Central, continua com acelerado processo de crescimento. O Câmpus que atende atualmente 947 alunos, distribuídos em sies cursos de graduação: Ciência e Tecnologia Integral, Ciência e Tecnologia Noturno, Engenharia de Produção, Engenharia Civil, Computação e Informática e, Sistema de Informação, está ganhando seis novos prédios.
As novas edificações representam investimento superior a R$ 10,1 milhões que vão melhorar a partir de 2015, o funcionamento das atividades acadêmicas desenvolvidas por professores e estudantes. Atualmente está em construção na Ufersa Angicos um segundo bloco de salas de professores, um segundo bloco de salas de aula, um bloco de laboratório para engenharia civil, restaurante e residência universitária. Outra obra importante é o Memorial Paulo Freire que está sendo construído nas dependências do campus.
Para o reitor da Ufersa, professor José de Arimatea de Matos, as novas obras que acontecem também em Mossoró, Caraúbas e Pau dos Ferros representam a consolidação da expansão territorial da Universidade Federal Rural do Semi-Árido. “São investimentos que ultrapassam os R$ 67 milhões, empregados em 41 obras espalhadas pelos quatro câmpus da Ufersa”, afirma o reitor, acrescentando que muito mais está por vir com a implantação do curso de medicina em Mossoró e Assú. As primeiras obras já estão em processo de licitação com recursos na ordem de R$ 6 milhões aprovados.

“Esse investimento é uma prova do crescimento da nossa Universidade que na primeira avaliação do MEC concedeu Conceito 04 para o Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diurno e, Conceito 05 para o BCT Noturno”, afirma o diretor da Ufersa Angicos, professor Joselito Medeiros de Freitas Cavalcante. O campus conta com um contingente de pessoal formado por 72 professores, mestres e doutores e, 37 servidores técnicos administrativos.

O diretor lembra o campus possui apenas cinco anos de existência, tendo iniciado as atividades um espaço emprestado, com apenas 11 professores e nenhum servidor técnico administrativo. “Neste curto período, implementamos infraestrutura física adequada e de pessoal que garantem bons conceitos na avaliação do MEC”, reforça Joselito Medeiros. Ele diz que a Universidade trabalha para a implantação, em curto prazo, de pelo menos mais um curso de graduação.
Fonte: Assessoria de Comunicação UFERSA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário