domingo, 6 de julho de 2014

Papa defende fim do trabalho aos domingos

O papa Francisco lamentou o abandono da tradição cristã que veta o trabalho aos domingos e disse que a prática tem um impacto negativo para as relações familiares e de amizade. Francisco disse que a prioridade não deve ser da economia, mas sim das relações humanas, e que o foco não deveria estar nas relações comerciais. “Mesmo que os pobres precisem de trabalho, abrir as lojas e outros negócios aos domingos como uma forma de criar empregos não é benéfico para a sociedade”. disse o pontífice durante sua viagem a Molise, uma região agrícola no sul da Itália com alto índice de desemprego, realizada neste sábado. “Talvez seja a hora de nos perguntarmos se trabalhar aos domingos é uma liberdade verdadeira”, questionou Francisco.
O papa também encorajou os pais a passar mais tempo com seus filhos e a brincar com as crianças. O líder, de 77 anos, parece ter se recuperado dos problemas de saúde que o levaram a cancelar compromissos nos últimos dias. Ele voou de helicóptero para Molise para um dia cheio de atividades, como um almoço com pessoas pobres e a visita a uma prisão. Sem dificuldades para se movimentar, o pontífice sorriu com frequência enquanto saudava a multidão. O comando da Igreja Católica informou que os problemas de saúde do papa foram leves, mas não deu detalhes. Francisco retorna para o Vaticano no começo da noite do sábado e deve passar o domingo por lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário