terça-feira, 13 de maio de 2014

Executivo do Twitter vem ao Brasil ensinar melhores táticas para políticos

adam sharp
À frente do escritório do Twitter em Washington (EUA), Adam Sharp chefia uma equipe de 13 pessoas que tem como objetivo principal fazer com que políticos e ONGs aprendam a usar a ferramenta de maneira mais eficiente. Desde que assumiu o cargo, em novembro de 2010, ele visitou 11 países a fim de cumprir a mesma meta –nesta semana, veio ao Brasil. Durante três dias, Sharp falará a senadores, deputados e ao ministro Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social, para mostrar melhores práticas a serem usadas durante as campanhas. Ele recebeu a Folha para uma entrevista no escritório do Twitter em São Paulo.
“Em primeiro lugar, eu não daria tanta importância apenas à quantidade de seguidores, porque o candidato pode estar se relacionando com as pessoas certas. Frequentemente falamos sobre o Twitter como uma retorno à “política do varejo”. A qualquer país que vou, percebo que a melhor maneira de uma figura política para ganhar um voto é a mesma em todos os lugares: é olhar no olho, cumprimentar e pedir o voto. Mesmo para cargos minoritários, são necessárias pessoas demais para que você se eleja. Por isso que nos últimos 100 anos os candidatos começaram a falar mais na televisão, no rádio e nos jornais. Os políticos se tornaram muito bons em passar suas mensagens, mas perderam a interação com os eleitores”, disse Sharp.

Nenhum comentário:

Postar um comentário